Quem puder que se salve do vírus



Enquanto eles se degladiam, o povo morre na fila do hospital. Estão pensando em tudo, menos no povo. Aquele povo que já não tem médico no posto normalmente, e que certamente não terá agora.

Mas pensam em fazer o povo voltar a trabalhar em massa. O mais rápido possível.
Aliás, é bom que se saiba: toda a discussão e relativização da questão do coronavírus no Brasil tem como eixo central o fato de que eles não suportam a ideia de ter que nos pagar para ficar em casa.

Sim. A grande discussão no Brasil, travestida de “a economia não pode parar”, significa na verdade que temos que fazer jus ao nosso salário durante o período da quarentena. Os que tem salário.

O pensamento da elite brasileira é retrógrado, preconceituoso. Escravocrata. Quando o calo aperta, logo tratam de descer o relho no lombo do povo. Mas fazem questão, claro, de dar uma roupagem legal, moderna, quase que misericordiosa para a surra.

Apanhamos. Apanharemos. Voltaremos ao trabalho todos, e os hospitais lotados. E quem puder que se salve do vírus.


Bruno Oliveira - Professor e blogueiro iniciante. Licenciado em História pela Universidade Bandeirante de São Paulo - UNIBAN. Especialista em História, sociedade e cultura pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP. Licenciado em Pedagogia pela Universidade Cidade de São Paulo - UNICID. Criador do Pensando bem.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.